Newsletter
 


O Synthpop



A Origem

Pode-se dizer que tudo começou em 1968, na cidade de Dussedorlf, Alemanha, quando formou-se um grupo musical chamado Organisation, formado pelos jovens: Ralf Hutter, Florian Schnneider, Butch Hauf, Fred Monicks, Hammoudi Basil, além da colaboração do professor de música Karlheinz Stockenhausen.

O grupo fazia experimentos com os mais diversos aparelhos, criavam sons com telefones, antenas, transmissores, entre outros objetos, tudo ainda sem ritmo algum.

Em 1970 gravou seu único álbum, chamado Tone Float, lançado pela gravadora RCA Victor, mas que não alcançou sucesso.


Ralf e Florian
Mas a paixão e a criatividade de Ralf Hutter e Florian Schnneider em criar sons inéditos era algo fora do comum, por isso resolveram deixar o Organisation e continuar com seus experimentos, aprofundando-se na criação de novos sons e timbres eletrônicos.

Adotaram também um novo nome comercial, Kraftwerk, aquele que seria o maior nome da música eletrônica de todos os tempos.

Ali surgia então um novo gênero musical, algo até então desconhecido no mundo todo e impulsionado principalmente por eles, o Kraftwerk.

No início, esse novo estilo ficou sendo conhecido por Technopop, mas logo deu lugar ao nome de Synthpop. Na verdade foi apenas um "upgrade" no nome, apesar de ter os que consideram o Synthpop como já como uma vertente do Technopop.

Os Sintetizadores

Sintetizador é o instrumento musical que possibilita a criação e a simulação de sons eletrônicos. O primeiro sintetizador foi construído na RCA, Estados Unidos, em 1955.

Os primeiros eram todos analógicos, os sons criados através de controle, botões e barra, ou seja, muito difícil o seu manuseio. Somente alguns anos depois vieram os digitais, que contavam com algumas novidades tecnlológicas, e que podiam ser ligados uns aos outros e até mesmo em computadores.

Sintetizador

Robert Moog
Robert Moog, físico e engenheiro, foi o principal responsável na época em transformar o sintetizador em um instrumento mais acessível para os músicos, pois até então, apenas técnicos especializados conseguiam criar alguns sons realmente interessantes através dele devido sua complexidade.

Em 1962, ele apresentou seu primeiro sintetizador de nome "Moog", mais moderno e com uma interface amigável, fundamental para aqueles que tivessem interesse em aprender a criar música através ele.

Nesta época o interesse de músicos pelos sintetizadores já começava a crescer e, com essa ascensão, Robert foi assediado pela indústria da música e acabou até mesmo vendendo os direitos de suas criações e de seu próprio nome.

Com a chegada dos sintetizadores não só foi criado um novo estilo musical, mas também uma evolução no conceito musical. Não eram só as bandas puramente eletrônicas que usavam sintetizadores, o instrumento foi incorporado até por bandas de rock/pop que até então usavam somente guitarra, baixo e bateria.

Com a possibilidade de criar milhares de sons e timbres diferentes, as bandas viram que ali seria o futuro da música, e praticamente 90% delas nos anos 80 incorporaram os sintetizadores em suas criações, desde bandas do New Romantic como, Duran Duran, Thompson Twins, Spandau Ballet, A Flock Of Seagulls, passando pela New Wave da: Cyndi Lauper, B-52's, Devo, pelo Rock/Pop de: Tears For Fears, Van Hallen, Oingo Boingo, Europe, Simple Minds, Rush, Midnight Oil, Gene Loves Jezebel e por aí vai. Até mesmo bandas de Gotic/Rock usavam muito sintetizadores, como os os casos de: Sisters of Mercy, Clan Of Xymox, X-Mal Deustchland e Siouxsie & The Banshees.

A Influência

Apesar do Kraftwerk ter ficado marcado como grande precursor do synthpop no mundo e considerado como principal influência do novo estlo, outros grandes nomes do cenário também começavam a despontar com suas criaçções através dos sintetizadores no inícios dos anos 70, como os casos de Jean Michel Jarre, Vangelis, Mike Oldfield e Tangerine Dream.

Por causa de todos estes "gênios" dos teclados, o synthpop começava a fluir mundo a fora, chegando na América e em outros países Europeus, como por exemplo, a Inglaterra, país este que passou a ter diversos adeptos e seguidores do novo estilo, formando inúmeros grupos de jovens que lá na década seguinte seriam os principais nomes deste cenário.


Human League
Depois de 1975, já começavam a aparecer os primeiros grupos inlfuenciados principalmente pelos artistas citados acima: Ultravox, Gary Numan, Human League, Yellow Magic Orchestra, O.M.D, Visage.

Faziam um synthpop experimental, ainda estavam aprendendo a dominar a capacidade e a mágica que os envolventes sintetizadores podiam fazer.

Outros em contrapartida, ainda não tinham condições de comprarem um, como o caso do Ultravox, devido ao preço que na época era uma fortuna, e então iam se virando com outros instrumentos para simular sons eletrônicos.

O Auge
Apesar de oficialmente ter nascido na década de 70, o Synthpop teve seu auge nos anos 80, onde nasceram as bandas que viriam ser os principais nomes do gênero: Depeche Mode, Celebrate The Nun, New Order, Camouflage, Erasure, Yazoo, Pet Shop Boys, A-ha, Propaganda, Red Flag, The Twins, Alphaville, Bronski Beat, Soft Cell, entre muitos outros.

Podemos dizer que essa foi a década do Synthpop!

Depeche Mode

Os Filhos do Synthpop

Com a existência do synthpop, a música eletrônica foi desenvolvendo suas vertentes e seus subgêneros. Ainda na década de 80 já se desencadeavam outros estilos, todos filhos do synthpop, como o: New Beat, EBM, Ítalo Disco, Freestyle, Break e o Acid House. E claro, da década de 90 até os dias de hoje com outros diversos segmentos: a Dance Music (Eurodance), Techno, Tecnhouse, Trance, Drum' Bass, Futurepop, Electropop, etc...etc...

A Perda da Força

Já no finalzinho da década de 80 o synthpop passou a perder sua popularidade, além dos novos gêneros eletrônicos que começavam a aparecer, tinha ainda a mera questão comercial das gravadoras que estavam forçando as bandas priorizarem a guitarra (que era o que estava dando dinheiro) e assim deixarem os sintetizadores de lado.

Grandes nomes do synthpop como os casos de Depeche Mode e New Order na época tiveram que aderir a um estilo mais comercial com guitarras que era o que as gravadoras impunham, caso ainda quisessem continuar na ativa.

Nos Anos 90

Bom, felizmente o que parecia ser o fim do synthpop na verdade era o começo de um nova fase, uma outra geração com novas pérolas fazendo o estilo continuar mais vivo do que nunca.


De/Vision
Nesta fase dos anos 90, podemos destacar grandes nomes que ali seguiram fazendo synthpop e de qualidade inquestionável: Anything Box, De/Vision, Elegant Machinery, Forgiven Iris, Wolfsheim, Avant Garde, Tek Noir, B! Machine, Loto, The Postal Service, entre muitos outros.

Só que a dificuldade para alguns era grande, afinal não era qualquer gravadora que aceitava ainda promover bandas deste estilo, e por isso, inclusive algumas delas se tornaram independentes e criaram sua própria gravadora, como os casos de De/Vision e Anything Box.

Na Atualidade

Na década de 2000 não é diferente, ainda continuam vários grupos fazendo o synthpop, alguns ainda remanescentes dos anos 80 e 90, outros formando-se propriamente nesta década.

Mas infelizmente aqui no Brasil, praticamente passa desapercebido, pois as rádios insistem em ficar empurrando as mesmas "coisinhas" comercias de sempre. Com isto não é só o synthpop que fica prejudicado por aqui, mas diversos outros bons estilos que as pessoas acabam nem sabendo que existem.

Synthpop.com.br

A idéia da criação do site é justamente além de resgatar a origem do synthpop, acompanhar e mostrar o que ainda acontece neste meio. Procuramos através das seções de nosso site, principalmente a de nossa rádio, disponibilizar para os antigos fãs de synthpop até mesmo para essa geração que acabou de ouvir falar do estilo, uma nova uma opção e alternativa musical.

E você, já conhece synthpop ?