Newsletter
 

Tek Noir

Alternative


(1990)

Depois de terem se juntado em 1988, o brasileiro Marcelo Donolo e o argentino Filipo, fundaram a banda Tek Noir, que ficou conhecida pela principal investida dentro do mainstream eletrônico nacional. Tiveram seu primeiro e principal álbum lançado em 1990 pela gravadora Stiletto, o “Alternative”.

Já pensando no sucesso lá fora, tanto Marcelo, tecladista da banda, como o guitarrista e vocalista, Filipo, se apresentavam com nomes britânicos. O Marcelo passou a ser “Mark Rhiley”, e Filipo “Phillip Ashley.”

Para o lançamento desse LP, eles contaram com a ajuda do grande produtor inglês Mark Brydon, o mesmo das bandas: Erasure, Cabaret Voltaire, Bomb The Bass Yazz, além do co-produtor Dino Vicente, ambos contratados pela gravadora.

Esse primeiro álbum já prometia muito antes mesmo de ser lançado, eles já vinham se apresentando em casas noturnas de SP e, não foi à toa que na época foram convidados para abrirem o show do Information Society no Ibirapuera.

Assinaram então um contrato com a Stiletto que apostava no sucesso da banda e que insistia em um planejamento impecável para o tão esperado LP de estréia. Para se ter uma idéia, o grupo e os produtores foram ao estúdio Mosh, o mais moderno da América Latina, para acertar detalhes em suas composições, como os níveis de graves, agudos e demais efeitos, onde vararam noites durante 3 semanas.

O resultado final não poderia ser outro, com todas as músicas cantadas em inglês, uma base totalmente eletrônica e experimental pra lá de dançante, marcaram esse álbum, e o Tek Noir deixou de ser uma promessa e virou realidade. Sem dúvida foi o melhor e mais acabado LP já produzido no Brasil em se tratando de música pop eletrônica.

Após o lançamento eles fizeram uma turnê promocional com mais de 80 shows pelo país.
Três anos depois lançaram o “Destination”, seu segundo álbum.


Prévia das Faixas:

Beat The Rhythm: É uma das principais e mais conhecidas músicas da banda, lembra muito o freestyle do Celebrate The Nun e Information Society, tanto nos samples como também no vocal, e que por sinal é excelente.

Drawings Of Sorrow: Clássica, onde leves teclados e refrão melódico entram como destaque. Tanto que em entrevista concedida pelo grupo no lançamento do álbum e por ainda serem pouco conhecidos, eles diziam que músicas como essa quando tocadas nas rádios, muita gente iria pensar que era o novo hit do Pet Shop Boys.

Talk Of Desire: Efeitos eletrônicos maravilhosamente bem criados e explorados, e que relembram os tempos de Kraftwerk e Depeche no ínicio de carreira.

One Way Or Another: A música da banda que mais teve influência do Acid House.
O lado B do LP apesar de continuar ainda fortemente na linha synth, já mostra um pouco outras influências, principalmente do EBM. É como se a banda tivesse duas fases distintas em um mesmo álbum.

655321: Já começa a ser perceptível a mudança em alguns samples, onde o som fica mais “pesado” e "agressivo". Esse foi o hit de mais sucesso do lado B.

In The Name Of The Father: Sem sombra de dúvidas essa é a mistura perfeita do synthpop com elementos sonoros que caracterizam o estilo EBM. O vocal aqui também se destaca e fica bem mais agressivo e sombrio . Eu diria até que essa música pode ser ouvida e confundida com Front 242 por alguns leigos no assunto.

Hemispheres Divide: Já com um vocal pouco mais suave, ainda mantém nessa faixa timbres a la Nitzer Ebb.

The Final Fall: Junto com “In The Name Of The Father”, é o synth que mais teve influência de bandas EBM.


Para os fãs de synthpop, conhecer esse álbum é altamente recomendado. E quem acha que hoje em dia musica eletrônica boa é o que toca nas rádios daqui, com certeza mudarão de conceito quando ouvirem o álbum..




Faixas:


Beat The Rhythm 
03:34
Drawings Of Sorrow 
05:24
Talk Of Desire 
05:05
One Way Or Another 
04:07
655321
03:56
In The Name Of The Father 
04:16
Hemispheres Divide 
03:48
The Final Fall 
04:42